Como começar uma startup em 5 passos simples
[editar artigo]

Como começar uma startup em 5 passos simples

Não existe nenhuma fórmula mágica de como começar uma startup. O caminho é árduo e exige muito esforço e dedicação.

Contudo, depois de apoiar e ajudar a lançar tantas startups, cometer e corrigir muitos erros e analisar as dificuldades que os empreendedores encontravam ao começar uma startup, chegamos a uma metodologia que está funcionando, e muito bem!

É claro que, assim como toda boa startup, seguimos sempre evoluindo e aprimorando essa metodologia, mas identificamos 5 passos básicos que são essenciais para começar uma startup.

Todas as startups apoiadas pelo Ideia no Ar passam por estes 5 passos e os resultados e aprendizados tem sido muito animadores.

Se você tem interesse em receber nossos aprendizados sobre como começar uma startup, clique aqui e se cadastre em nossa newsletter.

Veja então quais são os 5 passos de como começar uma startup segundo a metodologia do Ideia no Ar.

Como começar uma startup: os 5 passos para começar uma startup

Como começar uma startup

1 - Visão do produto/validação

como começar uma startup

O primeiro passo ao começar uma startup, ao contrário do que alguns empreendedores imaginam, não é definir o modelo de negócio da startup, criar o CANVAS e muito menos desenvolver um MVP (Mínimo produto viável).

Antes de tudo isso é preciso realizar as primeiras validações do negócio.

Para auxiliar neste processo utilizamos o quadro de visão de produto, que captura a visão e a estratégia macro do produto/serviço da startup e é o que vai orientar as primeiras validações do negócio e também fornecer a base para a criação do Canvas/Modelo de Negócio.

O Quadro da Visão do Produto é divido em 5 áreas e preenchido de acordo com as hipóteses iniciais que o empreendedor define para seu negócio:

  • Visão: resumo da intenção e motivação que o empreendedor tem para o produto/serviço;
  • Público-Alvo: segmento de mercado, quem o produto beneficia, quem são os clientes e usuários;
  • Necessidades: proposta de valor, problemas e dores que o produto elimina e benefícios que cria para os clientes e usuários. Deixar claro porque as pessoas querem usar e comprar o produto;
  • Produto: resumo das top 3 ou 5 funcionalidades que destacam o produto e são críticas para o sucesso. Se relacionam com a proposta de valor e resolvem as necessidades identificadas. Não é o momento para listar várias funcionalidades, isso será feito em uma etapa futura;
  • Valor: valor interno para a startup, porque ela tem interesse em investir no produto, o que ela espera de retorno. Especificar os ganhos esperados para o negócio (ex.: aumentar receita, entrar em novo mercado, reduzir custos, desenvolver a marca, adquirir conhecimentos, etc).

Depois de preencher a primeira versão do product vision board o empreendedor deve ir para a rua e validar as hipóteses de problema que foram levantadas.

Afinal, como já disse Steve Blank: “Get out of the building!”

2 - Definição do Modelo de Negócios

como começar uma startup

Apenas após ir para a rua, escutar seus possíveis clientes ou usuários e validar as hipóteses iniciais que foram definidas no product vision board chega o momento de definir a primeira versão do seu modelo de negócios.

E para começar uma startup nada melhor do que fazer isso utilizando o Canvas.

O Canvas, pra quem ainda não conhece, é uma ferramenta para construção de modelos de negócio que une, em apenas uma folha, os principais aspectos de um negócio.

Ele foi criado por Alex Osterwalder e popularizado no livro Business Model Generation (leitura obrigatória para empreendedores que querem começar uma startup!)

Como a maioria dos empreendedores já conhece o CANVAS não vou explicá-lo neste artigo.

Mas se você ainda não conhece ou tiver interesse em relembrar existem diversos conteúdos de qualidade sobre isso na internet como o artigo CANVAS: O Que É e Como Funciona o Business Model Canvas e este curso em vídeo da FazInova.

O importante aqui é saber que, como o Canvas é praticamente um resumo de hipóteses sobre várias áreas do negócio, neste momento já temos novas hipóteses para serem validadas junto aos clientes e usuários.Lembre-se, porém, que o foco aqui é validar o encaixe da sua solução no mercado, ou seja,verificar se os clientes realmente precisam da solução oferecida.

3 - Validação da solução / MVP Concierge

como começar uma startup easymap

como começar uma startup easymap

Depois de definir e validar algumas hipóteses com o Product Vision Board e o Canvas chega a hora de validar a solução que está sendo proposta.

Agora é o momento de voltar às ruas e entender se seus possíveis clientes (aqueles que realmente possuem o problema que você está tentando resolver) aceitam utilizar a solução proposta conforme ela foi desenhada ou se a solução precisa de ajustes para que eles usem ou comprem.

Porém, algo importante de mencionar é que a solução pode ainda nem existir!

É isso mesmo! Muitas vezes a solução proposta se trata de um site ou aplicativo mas nessa etapa o produto ainda não foi construído (e nem deve ser!).

Para poupar esforços, agilizar o processo e evitar desperdício de recursos financeiros, o empreendedor deve entender se as pessoas comprariam ou usariam seu produto antes mesmo que ele esteja concluído.

Para fazer isso você deve oferecer sua solução fazendo de forma “manual” (ou utilizando tecnologias já existentes) o que seu site ou aplicativo faria de forma “automática”. Isso é o que chamamos de MVP Concierge.

O fator crítico aqui é pensar em como sua solução pode ser oferecida desta forma.

Aqui no Ideia no Ar apoiamos startups que fazem isso pelo Facebook, em blogs, com Landing Pages, por skype, whatsapp, telefone e até pessoalmente, orientando os empreendedores no tipo de abordagem que devem utilizar, quais ações ele deve tomar, como podem encontrar os clientes, como perguntar, oferecer e convencer o usuário a utilizar ou comprar a solução.

(Se você quer começar sua startup clique aqui e veja como o Ideia no Ar pode te ajudar).

E antes que você diga “Ah! Mas no meu caso isso não é possível!” saiba que em pelo menos 97% dos casos existe sim uma maneira de validar sua solução sem ter seu site ou aplicativo desenvolvido.

Veja alguns exemplos do que você pode fazer:

  • Se você quer criar um aplicativo no estilo de marketplace pode criar um grupo no facebook para validar sua solução;
  • Se você quer criar uma solução para permitir que mulheres encontrem cabeleireiros pode fazer uma lista com o nome de alguns profissionais e oferecer para mulheres que se encaixem no seu público por telefone, pelo facebook ou através de uma fan page;

Nessa etapa nós instruímos o empreendedor a já começar a faturar, fazendo com que os clientes comecem a pagar mesmo que a solução não esteja completa.

Isso é possível porque o foco nesse momento é encontrar os early-adopters (adotantes iniciais).

Esse tipo de cliente costuma pagar por uma solução mesmo que ela ainda seja, de certo modo, incompleta, pois ele acredita na proposta de valor e aposta que essa solução é tão boa para uma necessidade que ele possui que já vale a pena pagar por ela.

4 - Definição das personas

como começar uma startup personas

Algo muito importante para quem está começando uma startup é conhecer seus clientes.

Você precisa entendê-los, conhecer seu perfil, suas necessidades, problemas e expectativas.

Na construção do Canvas o empreendedor já definiu seu segmento de clientes, ou seja, seu público-alvo. Mas o CANVAS não permite que você defina muitos detalhes a respeito desses clientes e por isso você deve usar outro artefato, chamado Personas.

Nesta etapa você deve definir em mais detalhes quem é o cliente, sua idade, preferências pessoais e profissionais, o que ele faz durante o dia e nos finais de semana, se ele trabalha ou não, como ele gasta seu tempo e quais são os objetivos e expectativas dele com a solução oferecida.

Todos esses detalhes ajudam a entender melhor seus clientes e usuários e isso possibilita ajustar a solução e descobrir novas funcionalidades ou descartar funcionalidades que haviam sido planejadas mas não são de interesse de seus clientes e usuários.

As Personas, contudo, só devem ser construídas quando o empreendedor já conhecer e entender quem são seus clientes ou possíveis usuários.

5 - Construção do MVP

como começar uma startup desk

Apenas depois de passar várias vezes pelas etapas anteriores, repetindo cada etapa até encontrar os clientes e usuários que possuam um problema real e que estão dispostos a comprar/usar a solução oferecida chega a hora de começar a pensar na construção do seu MVP – Mínimo Produto Viável.

Ao chegar nesta etapa, muito a respeito do negócio já foi aprendido e descoberto através das validações e, por isso, já é possível criar um MVP que realmente faça sentido para os usuários finais.

Ao seguir estes 5 passos de como começar uma startup o empreendedor evita que seja construído um MVP ou funcionalidades sem utilidade para os clientes e usuários, gerando uma enorme economia de tempo e de dinheiro para o empreendedor.

Neste momento o MVP vem apenas para automatizar o trabalho e aumentar a escala de clientesou usuários atendidos, afinal o objetivo é que a startup já esteja “funcionando” e faturando, mesmo que em uma escala reduzida e de forma manual.

Com este objetivo o Ideia no Ar ajuda o empreendedor a definir o pacote mínimo de recursos que o MVP deve conter priorizando entre 3 e 5 funcionalidades mais urgentes, conforme o feedback dos clientes e usuários.

Algumas dicas para seguir os 5 passos de como começar uma startup:

  • No Ideia no Ar ajudamos o empreendedor através de reuniões semanais (presenciais ou por skype/hangout) na definição das ações necessárias para que as validações de negócio aconteçam. Tente fazer o mesmo com a sua equipe para acompanhar seu progresso e não “empacar” em alguma das etapas.
  • Não avance para o próximo passo se não concluir as validações necessárias. Defina um “critério de sucesso” para cada uma das validações e só avance depois de ter atingido este critério. Por exemplo: você não deve avançar para a definição de personas se não conseguir encontrar usuários/clientes que usam ou compram a solução que está oferecendo.
  • É comum, ao começar uma startup, que a ideia inicial mude um pouco (ou até completamente). Enquanto estiver validando suas hipóteses e sua solução você vai descobrir que algumas são verdadeiras e outras não e, por isso, vai estar continuamente voltando uma etapa algumas vezes até encontrar a solução ideal. Se isso acontecer com você não se preocupe, é completamente normal!

Recapitulando: como começar uma startup

como começar uma startup mapa

Não existe nenhuma fórmula mágica de como começar uma startup, contudo, depois de apoiar e ajudar a lançar tantas startups identificamos 5 passos que são essenciais para começar uma startup e que hoje fazem parte da metodologia do Ideia no Ar para lançar startups de impacto.

Os 5 Passos Para Começar Uma Startup:

#01. Visão do Produto #02. Definição do Modelo de Negócio / CANVAS #03. Validação da solução / MVP Concierge #04. Definição das Personas #05. Construção do MVP

Gostou desta Metodologia?

Queremos saber o que você achou sobre os 5 passos para começar uma startup.

Deixe um comentário com a sua opinião ou, se ficou com alguma dúvida, deixe sua pergunta que nós vamos te responder!

COMPARTILHE
Gustavo Gubert

Gustavo Gubert

Assessor de investimentos na GM Investimentos

Artigos relacionados

login modal