MVP para startups: 3 coisas que aprendemos
[editar artigo]

MVP para startups: 3 coisas que aprendemos

Qual a fórmula de uma startup de sucesso? Como criar um MVP para startups? Por enquanto, posso te ajudar compartilhando nossos aprendizados no processo de apoio e criação de um MVP para startups. Se você é perfeccionista ou tem dificuldade de aprender com os erros, já adianto, vai ser uma leitura reveladora!

Quando estamos começando uma startup, muitas vezes o que precisamos é saber para onde NÃO ir. Isso porque temos muitas possibilidades. Por isso riscar caminhos que não deram certo, já nos ajuda a ter mais clareza sobre as novas possibilidades. O MVP - ou mínimo produto viável - é justamente um dos primeiros passos nessa jornada. Mas...como fazer um MVP para startups?

https://youtu.be/00R_gJbKe9g

Não vou fazer apologia ao erro e muito menos ao fracasso. O que precisamos trabalhar no nosso comportamento é justamente saber aprender com as falhas. Claro, sempre vão existir aqueles que precisam aprender errando ao mesmo tempo que existem aqueles que aprendem, também, com os erros dos outros.

Como fazer um MVP para startups

como fazer um mvp para startups

O MVP, ou mínimo produto viável, permite algumas vantagens nesse processo de aprendizado. Uma delas é que ele ajuda a startup a receber feedbacks verdadeiros dos usuários e clientes. Muitas pesquisas de validação já trazem esse resultado, mas o MVP vai além pois permite que o usuário efetivamente teste sua solução.

Escrevemos um post sobre como fazer um MVP com uma landingpage que você pode ler aqui, mas agora quero compartilhar com vocês os aprendizados que tivemos com startups distintas na fase do MVP.

Faz o que eu digo e não faz o que eu faço

mvp-para-startups-faca-o-que-eu-digo

O ditado "em casa de ferreiro o espeto é de pau" trouxe um importante aprendizado quando decidimos criar nossa startup e acabamos entrando na fase do MVP. Temos visto que empreendedores com experiência prévia nos negócios tem, ao mesmo tempo uma vantagem e uma desvantagem. A vantagem é que eles já conhecem o mercado, tem contatos com eventuais parceiros, ou até mesmo facilidade em abordar clientes. No entanto tem a desvantagem de acharem que já sabem o que o cliente precisa. É natural que isso aconteça, mas o MVP para startups existe justamente para identificarmos que não sabemos tudo sobre as necessidades dos nosso clientes, e claro fazendo isso em um curto espaço de tempo.

Recentemente a empreendedora Simone Saar procurou o Ideia no Ar para colocar em prática uma ideia que ela teve. Ela já tem experiência na área que está empreendendo com a startup, pois na Zest Turismo ela já teve um bom conhecimento sobre o mercado.

A ideia que ela nos apresentou também é do mercado de turismo, só que o receptivo. Parece a mesma coisa, mas não é. A ideia foi colocada em prova, primeiramente, em conversas com outras agência de turismo receptivo. Já que a Zest é de turismo emissivo, não podíamos criar um MVP considerando apenas a experiência da Simone.

Conversando com essas agências validamos algumas das hipóteses e em menos de 1 mês estávamos prontos para desenvolver o Turistando.net, um marketplace de turismo receptivo para ajudar o turista a encontrar os passeios e produtos que irá consumir durante sua estadia no destino.

Ou seja, mesmo sendo da área ou acreditando que já pesquisou o suficiente, faça como a Simone: teste suas hipóteses com um MVP pois só ele poderá te dar as respostas que você precisa para criar um negócio de sucesso. Consequentemente, aprenderemos que muitas das nossas ideias iniciais não são bem aquilo que nosso cliente precisa e teremos tempo para adequar a proposta de valor da startup.

Assista  o vídeo abaixo e veja o que a Simone aprendeu na primeira etapa do MVP para startups.

Feito é melhor que perfeito

mvp-para-startups-feito-é-melhor-que-perfeito

Durante a criação de uma startup é preciso ser ágil para lançar a solução o quanto antes. Muitas vezes o empreendedor fica com o "pé atrás" para colocar no mercado um produto incompleto. Mas temos que lembrar que "feito é melhor que perfeito". Quanto antes o cliente/usuário puder utilizar o site, aplicativo, sistema que sua startup está criando, melhor! Mais feedbacks sobre o que funciona, o que eles querem e o que é fundamental no produto. Pense enxuto, observe as principais funcionalidades que o cliente está precisando e lance o quanto antes algo simples. Depois disso, esteja aberto a constantemente aprender e gradualmente ir melhorando sua solução.

No final de 2014, o empreendedor Eric Aquino nos procurou com uma ideia. No primeiro  momento, ao invés de compilar as ideias dele e sair desenvolvendo uma solução que no fim só atenderia o que o empreendedor imaginou, fizemos diferente. Começamos com a identificação do real problema nos mobilizadores de causas sociais, culturais, ambientais, políticas, etc. Logo em janeiro o Eric já tinha percebido que aquilo que começou como uma ideia na verdade era uma real necessidade. Como ele fez isso? Assista ao vídeo e saiba mais.

Uma vez identificado o problema que desejamos solucionar é hora de começar a criação do MVP para startups. Nesse momento a ideia do Eric virou um negócio social, o Cause.wiki, uma plataforma de mobilização para causas de impacto. Muito provavelmente em breve a plataforma se torne também um aplicativo. Mas se tivéssemos desde o início optado pelo app, gastaríamos muito mais tempo de desenvolvimento, e talvez fossem lançadas funcionalidades que não atendessem as necessidades reais dos usuários.

Para não cair nesse erro e desperdiçar recursos focamos em lançar no menor tempo possível um MVP que trouxesse uma série de informações e necessidades que pudessem embasar o aprendizado necessário para desenvolver uma startup de sucesso. Mais uma vez vimos que o "feito é melhor que perfeito" e claro que continuaremos melhorando a solução em busca da perfeição.

Melhor contratado, do que tratado com…

Quando uma startup começa é importante considerar muito o fator humano. Muitas startups são fruto de eventos de fomento ao empreendedorismo, de projetos entre colegas de faculdade, ou até mesmo de grupos de amigos que se unem para criar um negócio legal. Apesar de ver que startups com mais de 3 sócios levam mais tempo para alinhar as expectativas e lançar o produto, não existe regra para quantos sócios a startup deve ter. O aprendizado que discutiremos aqui é o comprometimento e o alinhamento entre os envolvidos na startup, principalmente durante a criação do MVP. Afinal de contas são as pessoas que irão desenvolver o MVP.

Assista ao vídeo da Vivian do be.veg e entenda como o alinhamento dos envolvidos no projeto pode gerar um resultado muito melhor.

Não são poucos os empreendedores que nos procuram reclamando de programadores que não cumpriram o prazo, de amigos designers que não entregaram as telas na data combinada, ou mesmo de sócios que não conseguem definir suas responsabilidades para fazer o negócio. Quando escuto isso sempre recomendo o alinhamento de expectativas e a melhoria na comunicação. Como já ouvi por aí "se as coisas não dessem errado não precisaríamos de contratos", mas enquanto isso não é realidade, o melhor caminho para ganhar tempo durante a fase do MVP para startups são os contratos.

Não digo que é preciso terceirizar tudo mas deixar a comunicação alinhada entre os membros da startup é um bom começo. Durante a fase de MVP, tudo na startup ainda é muito incerto. Por isso muitas pessoas acabam se comprometendo com a ideia do negócio, mas em pouco tempo podem ficar desmotivadas e acabarem não cumprindo os combinados. É por isso que ainda iremos ouvir muitos casos de sócios desenvolvedores que abandonam projetos ou de designers que não priorizam as demandas.

Independente do vínculo ser de sócio ou não, em uma startup não é o status que une mas sim os acordos firmados. E quanto mais técnica for a responsabilidade da pessoa, maior a chance de problemas ocorrerem. Priorize seu investimento financeiro em demandas estratégicas como desenvolvimento e design, mesmo que tenha esses profissionais na equipe. Procure firmar contratos com seu time. Se tiver como pagar, será sempre melhor; mas se não tiver, permute o serviço pela participação no negócio na medida que as entregas forem feitas. Isso vai ajudar na velocidade de lançamento do seu MVP e não vai te atrapalhar nos próximos passos da sua startup.

Seguirei compartilhando nossos aprendizados aqui esperando que os caminhos já trilhados por outras startups nos ajudem a chegar mais rápido aos nossos objetivos!

Um abraço e até a próxima!

*via Ideia no Ar

COMPARTILHE
Gustavo Gubert

Gustavo Gubert

Assessor de investimentos na GM Investimentos

Artigos relacionados

login modal